Olha a Reatech aí… e agora bienal…

Reatech chega à 15ª edição

Depois de surpreender muita gente e não ocorrer no ano passado, a Reatech, maior feira de reabilitação, inclusão e acessibilidade de pessoas com deficiência do Brasil, está de volta neste ano. Agora em forma de bienal, a cada dois anos, ela será realizada entre 1º e 4 de junho, no  São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, na capital paulista.

De acordo com os organizadores, a expectativa é receber cerca de 52 mil pessoas nos quatro dias de feira, que terá 300 expositores. Lá, a gente pode encontrar agências de emprego, fabricantes de cadeira de rodas em montadoras de veículos, além de idealizadores de tecnologias assistivas para diversas deficiências.

Embora seja uma feira gratuita, tudo o que é comercializado dentro do recinto é muito caro, principalmente a comida que custa um Mc Donald’s, mas falta muito para chegar lá. Se alguém for, leva a marmita.

Por se tratar de uma feira que tem como um dos focos a tecnologia para um grupo bem específico de pessoas, as novidades aparecem a conta-gotas. Mesmo voltada à inclusão das pessoas com deficiência, apresentava falhas bastante perceptíveis a esse público.

Falta de orientação espacial – onde ficam as coisas e pontos de referência -, tocar a cadeira de rodas manual em carpete nunca foi fácil e simples para quem é desprovido de massa muscular, imagine em lugar gigantesco, como é.

Está bem obvio que a mudança para bienal por falta de recursos e novidades dos expositores e organização. Com uma nova frequência, fica a dúvida se a feira realmente terá oxigênio novo.

Depois do evento, a gente faz a comparação entre expectativa e realidade. Vocês que forem podem me ajudar nessa?

Deixe um comentário