Acessibilidade na TV digital para pessoas com deficiência visual e auditiva

teclas para os recursos de acessibilidade na tv digital
Teclas para os recursos de acessibilidade na TV digital

Várias cidades da Região Metropolitana de São Paulo vão deixar de receber a partir desta quarta-feira (29) apenas o sinal sinal analógico. Além de ter uma qualidade melhor de imagem, a acessibilidade na TV digital é o ponto mais positivo para os telespectadores com deficiência visual e auditiva.

Aqueles que estão acostumados a assistir à televisão à moda antiga vão ter que se adequar ao novo sistema, com um conversor e uma antena externa. O Reflexão Sobre Rodas traz algumas características o sistema digital.

De acordo com um artigo do especialista Fernando Moreira, as pessoas têm acesso a esses recursos por meio do painel de navegação do controle remoto.

Segundo o professor, não existe uma norma universal definida para disposição dos botões de acesso. Entretanto, há um padrão mundial utilizado pelas fabricantes.

Da esquerda para a direita, as teclas têm as cores: VERMELHO, VERDE AMARELO e AZUL. Fazem parte do conjunto os botões de comando (OK ou ENTER), sair, voltar e de navegação. Na tela, são indicadas as funções delas, que devem ser feitas com fontes de fácil leitura.

Conforme o cronograma de implantação, boa parte do conteúdo da TV aberta digital já deveria estar contempladas com audiodescrição, closed caption (legenda oculta) e dublagem em 2017.

Falta de acessibilidade na TV digital

Entretanto, o Reflexão Sobre Rodas verificou que poucos canais digitais abertos disponibilizam recursos de acessibilidade presentes na operadora NET. Vale ressaltar que a análise foi feita na parte da tarde, as emissoras  não exibem seus principais produtos no período.

Em São José dos Campos, cidade do editor deste blog, há poucos canais com sinal digital. Contudo, a transmissão mais antiga só será desligada no fim de setembro de 2017. Assim que houver novidades a respeito da acessibilidade na TV digital, o Reflexão vai trazer para vocês.

E quem tiver perguntas sobre o tema pode deixar nos comentários ou na página do blog no Facebook.

Deixe um comentário