Você conhece a audiodescrição?

símbolo internacional da audiodescrição é composto pelas letras A e D, à direita da letra D três sinais de parênteses lembram ondas sonoras se propagando.

O Reflexão Sobre Rodas vem publicando diversas reportagens e artigos a respeito da audiodescrição, sobretudo nos meios de comunicação de massa e direcionada. Mas, a final de contas, o que significa isso?

De acordo com o Blog da Audiodescrição, especializado no assunto, esse recurso pode ser utilizado em vários campos das áreas do conhecimento. Pois, o fundamento dele é descrever em palavras imagens que podem ser ouvidas. Tudo isso dentro de um contexto.

Diversas áreas devem utilizar a audiodescrição. Além da comunicação, os campos das Letras, da Cultura são setores que podem se beneficiar com o recurso para auxiliar pessoas cegas ou com baixa-visão. Segundo o mesmo blog, há estudos que afirmam que pessoas com deficiência intelectual, idosos e disléxicos também têm ganhos com a audiodescrição.

O blog especializado lista uma série de lugares onde pode e se deve aplicá-la. Entre elas estão:

  • Artes Plásticas: museus, galerias de arte.
  • Educação: salas de aula, congressos, seminários, palestras.
  • Eventos Esportivos: em todas as modalidades esportivas, incluindo Olimpíadas, Paralimpíadas e Copas do Mundo de Futebol.
  • Eventos Religiosos: missas, casamentos.
  • Festas: carnaval, desfiles militares, festas de São João.
  • Filmes: em todos os tipos de filmes e documentários, de curta ou longa-metragem, em salas de cinema ou em casa.
  • Internet: fotos, gráficos, ilustrações, vídeos publicados em sites.
  • Publicações: livros, apostilas, folders.
  • Teatro: em todos os tipos de encenações realizadas ao vivo como peças, dança, musicais, circo.
  • televisão: em todos os tipos de programas e peças publicitárias, gravados ou ao vivo.

Embora seja uma profissão reconhecida pelo Ministério do Trabalho desde 22013, ainda não existem cursos regulares para audiodescritores. A maioria dos cursos são livres (de até 40 horas) e os profissionais atuam de maneira autônoma.

Nota do editor: se você pretende ser um audiodescritor, procure se capacitar a fim de compreender como realmente compor uma descrição com qualidade para o público a quem se destina.

Texto-base Blog da Audiodescrição

Deixe um comentário