Há o que comemorar no Dia Internacional de Lutas da Pessoa com Deficiência?

A cada ano, quando se chega a 3 de dezembro, Dia Internacional de Lutas das Pessoas com Deficiência, como neste domingo, penso em fazer um artigo em “comemoração” à data. Mas sempre concluo que há mais a se fazer, sobretudo em relação à aplicação de políticas públicas já previstas em lei.

Temos no Brasil inúmeras normas que dizem garantir direitos das pessoas com deficiência, porém, o que conseguimos ver por aí é um descaso na hora de colocar a mão na massa. Como contei no Reflexão Sobre Rodas na segunda-feira (27), as emissoras de TV disponibilizam recursos de acessibilidade em seus conteúdos apenas para cumprir as regras.

Apesar de ter melhorado nos últimos anos, a empregabilidade de quem tem deficiência ainda é condicionada também ao cumprimento da Lei de Cotas, quase nunca pela habilidade profissional. Além disso, muitas vezes, por falta de acessibilidade arquitetônica ou sensorial, um candidato com determinado tipo de deficiência não pode concorrer à vaga.

No começo de novembro, muito se noticiou sobre educação inclusiva, por conta do tema da redação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), que tratava do ensino para surdos no país. Aí surgiram relatos de pessoas que conseguiram entrar na faculdade em anos anteriores, mas tiveram que abandonar os cursos, pois as universidades não ofereciam o suporte necessário em tecnologias assistivas e acessibilidade. Tudo isso é previsto também em lei.

Há de se dizer que quem tem a responsabilidade de colocar em prática faz para não ser punido de alguma forma. E repito, cumpre o mínimo exigido no papel e não pelas experiências cotidianas. Porém, não é por falta de pessoas com deficiência e, sim, por não haver possibilidades de elas chegarem a esses locais e de permanecerem neles, causando um ciclo vicioso de exclusão.

Por isso, ainda não dá para considerar uma data comemorativa. As cobranças precisam continuar nessa luta por ocupação de espaços e com acessibilidade em todos os sentidos.

2 thoughts on “Há o que comemorar no Dia Internacional de Lutas da Pessoa com Deficiência?

  1. Interessante o texto e verdadeiro pois sou cadeirante formada em técnico em contabilidade e até agora não consegui uma vaga de trabalho pois as empresa nunca são adaptadas para um cadeirante isso é uma vergonha para o nosso país.

Deixe um comentário