Novo símbolo de acessibilidade, você conhece?

Todo mundo conhece aquele símbolo de uma cadeira de rodas branca com um fundo azul. Esse desenho é há muito tempo um ícone para indicar acessibilidade ou que o local é direcionado às pessoas com deficiência física.

Ele está na vaga exclusiva de estacionamento, no banheiro acessível, até para identificar os recursos de acessibilidade no seu computador, inclusive para pessoas com deficiência visual ou auditiva. Pode procurar aí para ver.

Mas você sabia que este símbolo mudou? Desde o segundo semestre de 2015, a Organização das Nações Unidas (ONU) propõe uma nova imagem que deve representar todas as pessoas com deficiência.

Por que o símbolo de acessibilidade mudou?

O novo símbolo de acessibilidade é uma figura simétrica conectada por quatro pontos a um círculo, representando a harmonia entre o ser humano e a sociedade, e com os braços abertos, simbolizando a inclusão de pessoas com todas as habilidades, em todos os lugares.
O novo símbolo de acessibilidade proposto pela ONU

Batizado de A Acessibilidade, o novo desenho tem a proposta de ser neutro, sem tipificar nenhuma deficiência específica. Segundo a ONU, é uma figura simétrica conectada por quatro pontos a um círculo, representando a harmonia entre o ser humano e a sociedade, e com os braços abertos, simbolizando a inclusão de pessoas com todas as habilidades, em todos os lugares.

A ONU afirma que o uso e aplicação do símbolo é livre, sem a necessidade de autorização prévia. Entretanto, quase dois anos depois de seu lançamento, é muito raro encontrar o novo símbolo de acessibilidade nos materiais que tratam da inclusão das pessoas com deficiência, sejam oficiais de governos ou de outras iniciativas.

Será preciso muita divulgação dele para enfim ser reconhecido pela sociedade como um novo ícone da acessibilidade no lugar daquela cadeira de rodas com o fundo azul.

Além de um novo símbolo de acessibilidade, o movimento das pessoas com deficiência precisa de unidade

Apesar dos argumentos da Nações Unidas serem bastante plausíveis, o novo desenho não é facilmente identificável como algo ligado à inclusão das pessoas com deficiência, ainda mais de maneira imediata. Só o tempo mesmo para dizer o que será.

O Reflexão Sobre Rodas compreende a necessidade de uma identidade mais abrangente para o símbolo da inclusão das pessoas com deficiência. É preciso que os aspectos principalmente da acessibilidade sejam encarados de maneira mais global.

Mas é fundamental antes de tudo, que o próprio movimento social das pessoas com deficiência se entenda como algo único, sem ficar sempre puxando a sardinha para um lado ou outro.

Deixe um comentário