O melhor lugar do mundo é a nossa casa – Ep. 5

casa

Depois de 26 dias no hospital, a notícia de que eu ia para a minha casa era o fato mais importante do mundo para mim. Embora tenha sido na mesma data que o avião com o time da Chapecoense caiu na Colômbia, isso perdeu parte da minha atenção quando o médico disse: “Você não teve febre nas últimas 24 horas, então, vou te dar alta para ir para casa”.

Eu ainda precisava tomar algumas doses de antibiótico para combater  a tal bactéria, mas ele ficou de ver a possibilidade de eu terminar o tratamento com o auxílio do Home Care. Fiquei o dia todo à espera da liberação, mas era 5 horas da tarde, saí do hospital.

Ao, enfim chegar em casa, meus tios e meu irmão já estavam me esperando. Acho que depois  de grandinho nunca tinha ficado tanto tempo fora de casa, por isso, fiz questão de ir a todos os cômodos e até visitar a cachorra. Me disseram que, apesar de eu não me dar tão bem com os animais, ela quase não latia no período de internação

Eu estava me sentindo relativamente bem e muito feliz, eu estava fraco, pois eu havia perdido muita massa muscular no tempo de hospital. A partir de aqui, a minha vida seria completamente diferente do que eu estava acostumado.

Pizzas com bastante queijo e lanches do Mc Donald’s agora não poderiam fazer mais parte dos meus fins de semana, além do refrigerante nosso de cada dia. A dieta passaria a ser a mesma do hospital. Acho que ainda não contei, mas fora essas delícias que já citei, eu não posso comer verduras e frutas frescas.

De acordo com o que me explicaram, eu não posso ingerir nada que faça digestão rapidamente e nem o que gere muito açúcar, pois a parte do intestino que absorvia isso não está mais em mim.

E sim, a partir de agora, o assunto de toda quarta-feira no blog será comida, rs.

Deixe um comentário