É necessário agradecer – Ep. 4

Atualizado em 13 de fevereiro de 2017, às 18h23

144876075

 

Desde que fui internado, muitas mensagens positivas e de orações, independentemente da religião, chegavam todos os dias. Meus pais e meu irmão contavam de alguém que tinha mandado lembranças.

Essas mensagens foram e são uma fonte de energia fundamental para recuperação. Soube que no tratamento intensivo, um batalhão de amigos e familiares ia ao hospital para saber notícias fresquinhas que saiam no boletim médico antes do horário de visitas.

Quando fui para o quarto, tive visitas quase o tempo que era permitido. Era tanta gente querida, que várias dessas vezes, meus olhos chegavam a se irritar, que saiam até lágrimas. Mas isso me deixou bastante cansado também.

Infelizmente, depois que descobriram a bactéria, não pude receber tantas pessoas por estar em isolamento. Apenas meus pais e meu irmão, além de algumas tias mais próximas, faziam companhia para mim.

As mensagens de WhatsApp e no Facebook eram constantes, sendo boa parte do meu passatempo diário, pois sempre me deixava bastante contente de tanto carinho que recebia. Todas as manhãs fazia questão de publicar uma foto para interagir sobre minha recuperação.

Nos primeiros dias no quarto, minha mae dormia comigo e meu irmão, que estava de férias, ficava pela manhã para ela descansar. Mas mesmo ela parecendo incansável, precisava de mais um pouco. Na segunda metade da internação, meu irmão passou a dormir à noite no hospital e a mãe ia para casa.

A equipe de enfermagem tratava sempre com muito profissionalismo e bom humor o dia a dia de internação, tanto na UTI quanto no quarto. Eles deram aquele apoio fundamental nos banhos, nos curativos e trocas, além das trocas de fraldas em momentos críticos, rs.

Só tenho muito a agradecer a todos, citados ou não neste post, pelo apoio moral e até material neste período de recuperação. E com esta publicação, encerro as historias do período de internação.

Nota: Este post foi reeditado devido a problemas técnicos no blog.

 

Deixe um comentário