Qual o caminho da inclusão na mídia

Meses atrás, conversando com minha ex-colega de Guia Inclusivo, Tancy Costa, perguntei como estavam os projetos para o blog, pois tinha notado que estava sem atualizações há algum tempo. A última foi em julho do ano passado.

Ela me contou que estava se dedicando ao doutorado em comunicação e que não encontrava mais assuntos tão interessantes (e inéditos) para tratar sobre a inclusão das pessoas com deficiência, sobretudo em veículos especializado, como pensamos para o Guia.

Eu já vinha notando essa escassez de possibilidades, principalmente na internet. Na maioria das vezes, falamos o que as pessoas querem ouvir, pois, devido à grande segmentação da plataforma, acessa um conteúdo apenas quem tem interesse por ele.

É claro que existem aqueles que procuram conhecer o assunto, pois tiveram um familiar ou um amigo que adquiriu a deficiência pelos mais diversos motivos. Muitos buscam dicas e orientações do que fazer a medida em que encontram cada desafio.

Várias dessas perguntas, o Guia, como eu ainda o chamo, tentou responder ao longo desses cinco anos e também nos outros espaços que tive, principalmente no Reflexão sobre rodas, quando estava no portal regional VNews.

Revendo meu arquivo de e-mails, encontrei uma entrevista com o jornalista Jairo Marques, que também é cadeirante desde criança, feita em novembro de 2010. Nela ele dizia que faltava uma abordagem diferenciada em relação ao tema para os grandes veículos de comunicação na época. Fugir do senso comum.

Será que essa diferenciação começa a faltar também nos meios especializados, que insistem em replicar uma notícia que um ou outro gera? E qual seria o caminho mais viável?

Deixe um comentário