Pense e manifeste-se

Há muito tempo, não vivíamos no Brasil um fenômeno social de manifestação (ou protestos, depende do gosto do freguês). Não sou nenhum cientista de plantão para ficar palpitando a respeito dos desdobramentos destes fatos.

Conversei com várias pessoas, de diferentes filosofias para tentar entende-los. Como jornalista, estudioso do processo de comunicação, o que mais me chamou a atenção é a falta de reivindicações concretas.

Falta de alicerce, massa e tijolo

Embalados pela mobilização do Movimento Passe Livre, que inicialmente queria a revogação dos aumentos de passagem no transporte público nas grandes cidades e estados brasileiros, uma onda de manifestações surgiu em o slogan: “Não é só pelos 20 centavos”. Então, é por o quê, cara pálida?

Corrupção, gastos com a Copa do Mundo (e das Confederações), PEC37, mais investimentos em saúde, transporte e educação estão entre as principais “reivindicações”  dos manifestantes.

É interessante notar que os argumentos genéricos que ecoam pelas principais vias brasileiras são os mesmos que os políticos, em época de eleição dizem que vão lutar, quando reivindicam seu voto no Horário Eleitoral.

Proteste já! Mas saiba o que protestar!

Mas você, caro leitor, já parou para pensar o que você está protestando? Quando você pede mais investimento na Saúde, o que você realmente entende que precisa? Defina isso bem na sua cabeça (Qualidade de atendimento. Profissionais capacitados e estimulados, infraestrutura e outros) e vá para a rua! Faça o mesmo com a Educação, além de tirar notas altas, fazendo realmente valer o que já lhe é oferecido. Siga o mesmo roteiro com o transporte.

Lutar contra a corrupção exige um processo interno e outro externo. Primeiramente não corrompa, nem  se deixe corromper!

Sabe aquela esperteza de furar a fila, ou aquela de não pedir a nota fiscal para pagar mais barato? Bem, isso é um ato de corrupção também. Um ato pequeno de corrupção agora, pode se tornar um grande ato amanhã.

Mas você sabe realmente quais são atos de corrupção cometidos pelos políticos e as suas consequências?

Não dê seu voto aos corruptos nas eleições! Afinal, para estarem lá, alguém votou neles! Nas eleições, escolha um candidato em que acredite, faça campanha para ele e denuncie os corruptos.

Gastos da Copa? Procure se informar nos portais de transparência na internet, para denunciar e protestar dados concretos.

Democracia, demagogia e, por favor, não, Ditadura

O Brasil vive um processo recente de democracia. São menos de 30 anos. Este processo tem base na Constituição Federal que garante ao brasileiro vários direitos, inclusive o de protestar!

Quem disse que a ausência de partidos políticos é democrático? Muito pelo contrario. São eles, seja de qual denominação for é que garantem a democracia brasileira. Ser apartidário é a possibilidade de agregar forças e não de destruí-las. Nossa História  já mostrou que a falta de grupos políticos com voz pode fazer.

Quem disse que um Presidente sair agora, sem responder por ator comprovados, vai resolver o problema? Muito pelo contrário, mais uma vez nossa história tem exemplos claros disso.

Um candidato ao Executivo é eleito pela maioria plena. Se não estiver bom, troque na próxima eleição. Se tiver inconcebível, peça o impeachment, que será conduzido pelo Legislativo. Aliás este último é soberano quando se trata de Constituição. O Executivo não tem nenhum poder de vetar Emendas Constitucionais e nem casar o mandato de nenhum legislador! Isso cabe somente ao órgão colegiado. Qualquer afronta a isso é antidemocrático.  Um passo para a ditadura.

O que se pode discutir é como essa representatividade vem sendo feita, o que não dá para se resolver  na base de protestos genéricos e sim com diálogo, muito diálogo  ações bem definidas  e por fim, coloca-las em prática.

Por fim: se você leu até aqui e conseguiu compreender o texto, pense e vá protestar por aquilo que concluiu daqui.

Ah sim, comentem, falem mal do meu post e de mim, apenas não deixem democracia acabar.

4 comentários sobre “Pense e manifeste-se

  1. Muito bom e reflexivo o texto , em especial quando vc trata das “pequenas” corrupções .
    Controle Social , participação popular . Acredito nisso !

  2. Concordo com o que você escreveu! As pessoas escolheram um único alvo, a Presidenta e estão a massacrando. Não estou dizendo que não devemos critica-la, mas desde que a crítica seja fundamentada e realmente seja ela a pessoa responsável. Para resolver os problemas devemos fundamentar as críticas e focar na pessoa/órgão que realmente pode mudar algo sobre o assunto. O MPL só conseguiu reduzir o preço das passagens de ônibus, trens e mêtros por que fundamentaram os argumentos e foram cobrar das pessoas responsáveis pelos aumentos e que realmente poderiam alterar a decisão, que eram os prefeitos e os governadores. Por isso conseguiram o “sucesso”. Vejo pessoas protestando contra PEC 37, por exemplo, e não sabem nem o que significa, sobre o que é e muito menos quem tem o direito ao veto..
    Vamos bolar bons argumentos e focar nas pessoas que podem resolver o problema, que o resultado tende a ser melhor…

  3. Acho muito oportuna a reflexão sobre a profundidade com que os jovens e todos devem ter, juntamente com estes protestos, porque senão, vamos cair todos na falta de consistencia que está sendo comum entre nossos representantes no congresso. A diferença é que eles detem o poder e a falta de consistencia é uma ferramenta de trabalho.

Deixe um comentário