Dia Internacional da Síndrome de Down

Hoje, 21 de março, comemora-se o Dia Internacional da Síndrome de Down, instituído Down Sindrome International , em 2006. O Guia Inclusivo publicou uma reportagem, em janeiro, sobre o aumento da expectativa de vida dessas pessoas.

Nos últimos anos, nota-se outras conquistas importantes para elas, como o maior acesso a educação. Foi notícia, bem pouco tempo atrás, que o estudante com Síndrome de Down, Kallil Assis Tavares, de 21 anos, passou em primeiro lugar na Universidade Federal de Goiás para estudar geografia.

Ele se junta a menos de  20 pessoas com Síndrome de Down que cursam o ensino superior no Brasil. Parece pouco, mas basta lembrar que até duas décadas atrás, era raro quem tinha acesso ao ensino básico, assim, já se tem uma clara noção de evolução.

Datas comemorativas, como esta, servem para estimular tanto a sociedade como os próprios homenageados a cobrar direitos, até previstos em leis. Várias cerimônias em comemoração à data ocorrerão em instituições e no poder público.

De acordo com o site da Fundação Síndrome de Down, a síndrome  “é uma alteração genética produzida pela presença de um cromossomo a mais, o par 21, por isso também conhecida como trissomia 21.  Esta alteração genética afeta o desenvolvimento do indivíduo, determinando algumas características físicas e cognitivas”.

A data de 21 de março foi escolhida como uma alusão aos três cromossomos do par 21. Segundo a Federação Brasileira de Associações de Síndrome de Down, o Brasil teve grande importância para que a ONU adotasse a data a partir deste ano.

Segue o vídeo “Menina Diferente”. É o sexto video da campanha do Instituto MetaSocial,  criado pela  agência Giovanni+Draftfcb.


No filme, Paula Werneck, atriz que já protagonizou outras campanhas do MetaSocial, está em casa e declara ser uma menina diferente. A suposição leva a crer que essa “diferença” seria por outros motivos até que ela declara que é por gostar de tocar bateria.

Deixe um comentário