Pequenas atitudes acessíveis que incluem

Descrição: Vaga para deficientes bloqueada por correntes e um carrinho de compras

Quando se pensa em inclusão, sobre tudo em acessibilidade, a maioria das pessoas imagina que são necessárias grandes obras e feitos para que alguém com deficiência faça parte da sociedade. Mas, pequenas atitudes podem colaborar ou atrapalhar na promoção da inclusão.

O blog Paraíba Sem Barreiras, da minha amiga Larissa Santos, dá uma série de dicas de atos cotidianos que interferem na vida de uma pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida.

É comum vermos denúncias de carros estacionados em vagas reservadas, porém, também não é incomum observar algo que, à primeira vista, tenta inibir este tipo de atitude. Algumas empresas colocam cones ou correntes para que os espertalhões não estacionem indevidamente ali.

Mas, como uma pessoa com deficiência física, que esteja sozinha, vai retirar essa barreira para colocar o carro na vaga reservada para ela? Obrigá-la a pedir ajuda está longe de ser inclusivo.

Ainda sobre vagas de estacionamento, há aqueles que usam o espaço, por parecer ocioso, para colocar carrinhos de compras ou materiais de construção. É o mesmo que estacionarem na vaga, não é?

Quem tem deficiência visual também enfrenta algumas dificuldades que poderiam, facilmente, ser evitadas. O blog Paraíba Sem Barreiras orienta que os que passam por calçadas que possuem o piso tátil, precisam deixar a faixa em alto-relevo livres para a utilização dos deficientes visuais.

É por este caminho que eles se orientam pelo caminho e pode haver obstáculos, sejam outras pessoas ou instalações, como bancos, carrinhos de alimentos, caixas postais, cabine telefônica ou mesmo poste. Em todos estes casos, existem locais específicos para se instalar, de acordo com as normas de acessibilidade.

Como podem notar, são dicas simples e muito que colaboram na inclusão. Outras dicas também são muito bem-vindas. Se tiverem, compartilhem conosco.

Deixe um comentário