Internet como mobilizadora social

Eu comecei a usar a internet, de forma frequente, em 2001, quando iniciei o curso técnico em informática e meu pai resolveu trocar o computador de casa. Naquela época, ter um e-mail, para um adolescente de 16 anos, ou ao menos para mim, era o máximo.

O tempo foi passando, e a cada dia eu descobria um recurso novo. Ter um site para publicar meus artigos era quase um objetivo de vida, mas consegui naqueles sites gratuitos que existiam. Minha primeira interação instantânea  com outras pessoas  foi através do ICQ.

Logo que entrei na faculdade, em 2004, troquei o ICQ pelo MSN e no mesmo ano entrei na primeira rede social, na época mais conhecida como site de relacionamento, o orkut. A partir daí, passei a ter cada vez mais contato com outras pessoas com deficiência. Nos fóruns das comunidades, passei a ler e compartilhar histórias relativas à minha deficiência que até então, nunca tinha imaginado contar para alguém, ainda mais que eu não conhecia pessoalmente.

Hoje, é bem comum encontrar espaços que permitem as pessoas com deficiência lerem e contarem suas próprias histórias. Os movimentos sociais ligados à causa também passaram a utilizar esses espaços para reunir essas pessoas de diferentes lugares do país e do mundo, mas que têm na deficiência uma característica que as igualam ao invés de as diferenciarem.

Claro que isso não é um mérito só das pessoas com deficiência, mas de uma sociedade como um todo. A internet, ainda mais com a “onda” das redes sociais, fez com que pessoas de pensamentos semelhantes, o que facilita, além do compartilhamento de informações, a mobilização para reivindicar direitos em comum.

Entretanto, é importante salientar que esta mobilização não deve ficar somente fixar nos atos realizados através das redes sociais, pois senão, torna-se um movimento sem atos concretos para sociedade que não está na internet.

Acredito que o grande desafio hoje é levar tudo o que é dito por aqui, na internet, para o mundo lá fora para que as barreiras de lá, bem mais complexas também sejam quebradas.

1 comentário sobre “Internet como mobilizadora social

Deixe um comentário