São José: uma cidade acessível?

São José dos Campos, a cidade onde moram os jornalistas deste blog, completou 244 anos esta semana. Ela é tida como  exemplo quando se refere à inclusão das pessoas com deficiência pelas outras cidades da região, principalmente em acessibilidade.

Um dos primeiros posts do Guia Inclusivo contou que 100% dos ônibus do transporte público eram acessíveis com a chegada da terceira empresa, após um longo processo de licitação. A prefeitura tem, desde 2007, o programa Calçada Segura, que pretende explicar como construir uma calçada de acordo com as normas técnicas.

Entretanto, não é difícil encontrar pessoas que reconhecem o trabalho realizado, mas têm reclamações. A presidente da Associação das Pessoas Portadoras de Deficiência, Maria Claudete Silveira Rabelo de Moura, afirma: “Atualmente, tem melhorado, mas ainda falta muita acessibilidade para as pessoas com deficiência visual. É muito difícil encontrar calçadas com piso tátil”.

Ela diz ainda ter dificuldades de reclamar para um órgão competente sobre a falta de acessibilidade. Como presidente de uma associação, ela firma receber elogios e críticas à estrutura da cidade. “Quando é crítica, pela para que seja por escrito para poder tomar alguma providência”, conclui.

Outra reclamação que se ouve bastante é a não implementação do programa Calçada Segura nos bairros, ficando somente nas regiões centrais da cidade.

Porém, a Assessoria de Políticas para Pessoas com Deficiência, responsável por elaborar e supervisionar projetos públicos voltados às pessoas com deficiência na cidade, nega  e diz que já fez mais de 25 mil notificações em Blitz educativas em todo o município.

De acordo também com a assessoria, ela realiza cursos para que pessoas aprendam a construir a calçada da forma correta.

É interessante observar que mesmo em cidades citadas como exemplos, ainda precisam melhorar em acessibilidade urbana.

Conte para nós como é a acessibilidade onde você vive. Comente aqui ou nas redes sociais.

Deixe um comentário