Qwitter: um Twitter acessível

As redes sociais se tornaram, nos últimos anos, um importante meio de comunicação e interatividade entre as pessoas pela internet fixa ou móvel. Mas como quem tem deficiência visual utiliza uma rede social como o Twitter?  Geralmente, o Twitter é gerenciado por programas que os leitores de tela não conseguem interpretá-los

São muitas pessoas com deficiência visual que vivem postando mensagens de 140 caracteres no microblog. O perfil do Guia Inclusivo ( @guiainclusivo) segue várias destas pessoas e notamos que a maioria delas usa através do cliente QWITTER para interagir com seus “seguidos” e “seguidores”. Ele foi desenvolvido para oferecer mais conforto e acessibilidade a esse público.

O programa não é visual, sendo que todas as aplicações e mensagens são faladas, conforme a voz sintetizada que está sendo executada em seu sistema operacional. Sendo assim, o que você ouve não aparece na tela, a menos que você abra alguma janela “pop-up” para digitar um tweet, uma Mensagem Direta (DM), retuitar, entre outras operações controláveis pelos comandos do manual de instruções.

De acordo com o Manual do Qwitter, ele é bastante intuitivo, ou seja, é de fácil utilização, além de funcionar nos leitores de telas mais populares, como Jaws (pago) e NVDA (gratuito).

Para saber como utilizá-lo corretamente, acesse o manual do Qwitter disponível aqui.

Há outros aplicativos que interagem com o Twitter e são acessíveis, como os citados na reportagem sobre as tecnologias para pessoas com deficiência visual no Guia Inclusivo em março.

Colaboração: Luciane Molina

Deixe um comentário