Como fazer supermercado para todos?

Não sou muito fã de ir ao supermercado fazer a compra do mês. Geralmente, são meus pais que vão. Um dos principais fatores que me fazem não frequentar é a falta de acessibilidade aos produtos do supermercado.

Prateleiras com metros de altura. Etiquetas de identificação e preços com letras que não permitem fácil visualização ou sem versões em Braille para quem não enxerga. Supermercados estão longe de ser um paraíso para as pessoas com deficiência.

Algumas cidades obrigam esses estabelecimentos a oferecer cadeira de rodas, até mesmo motorizadas para facilitar as compras. Mas de que adianta ter esses equipamentos se o acesso aos produtos é dificultado? Como alcançar aqueles que estão nas prateleiras superiores. Ir ao supermercado e depender de alguém para pegar ou mesmo ver os preços é altamente prejudicial.

A arquiteta Thais Frota, do blog Arquitetura Acessível, sugere uma sutil alteração na disposição dos produtos nas prateleiras que pode ajudar e muito para as pessoas terem melhor acessibilidade.

Na maioria das vezes, os produtos são dispostos no sentido horizontal, como na primeira foto, o que não dá acesso aos produtos da parte superior. Na segunda imagem, a mesma quantidade de produtos está colocada no sentido vertical. Em todas as prateleiras, há produtos diferentes, o que permite que pessoas de diferentes alturas possam ter acesso, inclusive, na cadeira de rodas.

As empresas, em qualquer ramo, sobretudo os supermercados precisam entender que as pessoas com deficiência são sempre um público consumidor em potencial. Ao promover a acessibilidade ganharão muito com novos clientes.

Deixe um comentário