Literatura inacessível

A Bienal do Livro de São José dos Campos é uma oportunidade de se estimular a leitura entre seus moradores e das cidades próximas. Mas será que livros estão acessíveis a todos?

O Guia Inclusivo foi à Bienal do Livro, no Parque da Cidade, para conferir as opções de livros para pessoas com deficiências sensoriais (visual e auditiva).

O blog verificou que nenhuma editora comercial disponibilizava publicações em Braille ou audiobook. Os únicos materiais para este público eram os fornecidos pela gráfica ProBraille, do hospital Provisão. Eram livros escritos em Braille e letras maiores para pessoas com baixa visão.

No stand, também era possível encontrar um “marca páginas” com o alfabeto em Braille, o que despertava a curiosidade dos visitantes da Bienal.

Enquanto o Guia Inclusivo permaneceu próximo ao stand da instituição, pôde-se notar o interesse das pessoas em conhecer como funcionavam aqueles “pontinhos” no papel quase em branco.

A fundação Dorina Nowill, também especializada em fornecer material para pessoas com deficiência visual, cedeu ao evento cópias em Braille de obras da literatura mundial, como Harry Potter e Pequeno Príncipe. Estes livros estão expostos no stand da Fundação Cultural Cassino Ricardo. Não foi encontrada nenhuma publicação em LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais).

A assessoria de comunicação do evento informou que na próxima edição, em 2013, tentará trazer mais editoras com conteúdo inclusivo.

Revistas – Duas das principais revistas voltadas à inclusão das pessoas deficiência no pais estava entre o material de divulgação das editoras. A “Sentidos”, da Escola e a “Incluir” da Ciranda Cultural.

Deixe um comentário