Desenho Universal ainda não funciona

 

Uma casa sem escadas e sem desniveis, com mobílias que não prejudicam o uso de alguma pessoa e nem sua passagem. Essa seria a casa dos sonhos qualquer um, mas ainda é quase impossível encontrar um lugar desses no Brasil. Sempre há algum (ou muitos) detalhe que sai dos padrões do Desenho Universal.

O conceito de Desenho Universal surgiu nos Estados Unidos e ele não foi criado para atender as necessidades de pessoas com deficiência ou de mobilidade reduzida, mas sim para todas as pessoas. Ele é alicerçado pelos princípios Igualitário, Adaptável, Óbvio, conhecido, Seguro, Sem esforço e Abrangente. Estes aspectos foram definidos por um grupo de arquitetos liderados por Ron Mace.

O Brasil tem cerca de 15 Normas Técnicas que padronizam como devem ser desenvolvidos os projetos de acessibilidade urbana, transportes e prédios de uso público, entretanto, pouco é feito.

Para a arquiteta Giuliana Fiszbeyn, especialista em acessibilidade, não há fiscalização capacitada para a análise de projetos em edifícios. “Não há exigência de projeto de acessibilidade. Alguns projetos atendem poucos itens da legislação e fazem banheiros adaptados fora da normatização, sem preocupação real com os usuários, por exemplo”, diz a arquiteta.

Um complicador é que, apesar da obrigatoriedade dos locais de uso público, adequação de imóveis existentes, nem sempre se é possível seguir todas as especificações normatizadas, a adequação total pode ser prejudicada por questões estruturais, econômicas, de espaço físico, legais (prédios tombados pelo patrimônio histórico).

Giuliana questiona: “é melhor ter edifícios com algum nível de adequação, sem ser 100% do que totalmente inacessível?”. Para ela, deve-se incluir o maior número possível de usuários em nossos edifícios, mas nem sempre é possível incluir todo mundo.

As prefeituras e órgãos competentes têm a responsabilidade de fiscalizar e autuar quem não cumpre sua parte, mas quando será que farão corretamente seu trabalho?

2 comentários sobre “Desenho Universal ainda não funciona

  1. Design universal funciona!!!
    O que o título se refere são soluções inadequadas e adotadas de forma enganosa. Fere-se assim a Lei do Consumidor por propaganda enganosa e produto de má qualidade, aquém de padrões mínimos de acessibilidade e segurança.

Deixe um comentário